Capa: Marta Pinho Alves (2017) Cinema 2.0: modalidades de produção cinemática do tempo do digital. Communication  +  Philosophy  +  Humanities. .
Cinema 2.0: modalidades de produção cinemática do tempo do digital

by Marta Pinho Alves

Collection: Ars
Series:
Year of edition: 2017
ISBN: 978-989-654-399-0


Download PDF - 11905 KB


Synopsis

O que é o cinema no momento em que a digitalização intervém em todos os seus domínios e reformula ou reorganiza os seus modos convencionais? Tem ainda sentido usar a expressão cinema ou é já de outra coisa que falamos quando a película, o material fundamental do cinema durante mais de um século, é cada vez mais rara, e os seus circuitos de circulação, formas de elaboração e atitudes de receção, se distanciam em larga medida das tornadas habituais naquele mesmo período?

A presente obra sugere respostas para estas questões a partir da análise de modalidades de produção cinemática contemporâneas forjadas no tempo do digital. Recorrendo ao mapeamento de múltiplas manifestações e exemplos desenvolvidos contemporaneamente quer na esfera mainstream, quer em contextos marginais, propõe a compreensão do cenário cinemático em definição, observado a partir da perspetiva da produção. Daqui decorre a identificação de quatro núcleos fundamentais que determinam hoje, em parte, o fazer cinemático e que se opta designar por microcinema, cinema colaborativo, cinema pro-am e cinema ao vivo.

Como indicia o prefácio do presente livro, da autoria de José Luís Garcia, este é um problema ainda em construção o que obriga à volatilidade e impossível encerramento das interpretações sobre o mesmo. Por essa razão, mais do que encontrar respostas definitivas e cabais, este trabalho tenta situar o leitor traçando coordenadas para viagem neste território e convida-o a formular reflexões.  


Index

Nota prévia sobre referência a objetos audiovisuais – 21
Prefácio – 23
Introdução - 27

CAPÍTULO 1. A DIGITALIZAÇÃO DO CINEMA: PERCURSO, DEBATES E PERSPETIVAS – 43
O percurso de digitalização do cinema: etapas e contextos – 44
O cinema face à digitalização: debates e perspetivas – 85
Conclusão - 104

CAPÍTULO 2. MICROCINEMA OU A PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA DE PEQUENÍSSIMA ESCALA – 105
O que é o microcinema?  - 105
As práticas do microcinema – 110
O lugar do microcinema na produção cinematográfica do tempo do digital – 141
Conclusão - 143

CAPÍTULO 3. CINEMA COLABORATIVO OU O CINEMA PRODUZIDO EM REDE – 145
O que é o cinema colaborativo?  - 145
As práticas do cinema colaborativo: a colaboração criativa – 155
As práticas do cinema colaborativo: o financiamento colaborativo – 176
O lugar do cinema colaborativo na produção cinematográfica do tempo do digital – 184
Conclusão - 190

CAPÍTULO 4. CINEMA PRO-AM (PROFISSIONAL-AMADOR) OU A INDISTINÇÃO ENTRE MODALIDADES ANTERIORMENTE AUTÓNOMAS – 191
O que é o cinema pro-am (profissional-amador)?  - 191
Propostas para o fim de uma oposição – 203
As práticas do cinema pro-am: amadores fazem filmes como profissionais – 207
As práticas do cinema pro-am: profissionais fazem filmes como amadores – 221
O lugar do cinema pro-am na produção cinematográfica do tempo do digital – 226
Conclusão - 229

CAPÍTULO 5. CINEMA AO VIVO OU O CINEMA COMO ESPETÁCULO EM TEMPO REAL – 231
O que é o cinema ao vivo?  - 232
As origens do cinema ao vivo – 237
As práticas do cinema ao vivo – 253
O lugar do cinema ao vivo na produção cinematográfica do tempo do digital - 267
Conclusão - 268

Conclusão – 269
Bibliografia – 277
Filmografia – 333
Sobre a autora - 345

Support:
Fundação para a Ciência e a Tecnologia
União Europeia
Quadro de Referência Estratégico Nacional
Programa Operacional Factores de Competitividade
Universidade da Beira Interior