Doutoramento em Ciências da Comunicação

Washington José de Souza Filho foi o primeiro aluno brasileiro a terminar o doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior. “A transformação da tecnologia: mudanças das rotinas de edição da notícia nos telejornais do Brasil e de Portugal” foi o tema da tese defendida no dia 22 de julho. O trabalho orientado por João Carlos Correia procurou estudar “as mudanças da prática de editar a notícia, com a introdução do sistema digital de edição não linear, permitida pelo processo de digitalização”. Segundo Washington Souza Filho “a mudança de tecnologia - de analógica para digital - com o estabelecimento do computador como equipamento de edição admite a participação do jornalista na prática de editar, com a alteração de um processo do jornalismo televisivo para definir a forma da notícia, marcado pela divisão de trabalho, com a necessidade de um profissional especializado - o editor de imagem”.
A metodologia utilizada assentou numa técnica de triangulação: análise de conteúdo, observação e entrevistas. A partir da análise de 48 edições de quatro telejornais - dois do Brasil (Jornal Nacional, da TV Globo; e Jornal das Dez, da GloboNews) e dois de Portugal (Telejornal, da RTP1; e Edição da Noite, da SIC Notícias), escolhidos por serem exibidos no horário das programações das emissoras, divididas entre generalistas e segmentadas. “A investigação correspondeu a um estudo comparativo, em torno de um tema que é pouco estudado nos dois países”, acrescenta o pesquisador.
Entre as principais conclusões destaca-se que a participação do jornalista na edição da notícia está condicionada pelas estratégias das emissoras, com a mudança que a tecnologia digital estabelece, o que impõe para as empresas uma adaptação ao mercado, caracterizado pelo surgimento de novas plataformas para a distribuição do sinal - os canais fechados, através das emissoras especializadas em notícias, e online. A participação na edição é mais admitida nas emissoras especializadas, que dependem do imediatismo para veicular a informação, e menos nas generalistas, que consideram que  as notícias devem ter "um melhor tratamento na edição". O sistema digital de edição não linear é caracterizado pela distinção do software em níveis diferentes de edição, o que permite às emissoras estabelecerem os princípios delas - a diferença da forma da notícia que os jornalistas podem editar, no caso as que dependem de maior imediatismo e prescindem de melhor tratamento.
O júri das provas foi constituído por João Carlos Correia, professor associado da UBI, Anabela Gradim, professora auxiliar da UBI, Jacinto Godinho, professor auxiliar da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Carlos Canelas, professor adjunto do Instituto Politécnico da Guarda, Francisco Merino, professor auxiliar da UBI, Adelino Gomes, investigador associado do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia-CIES do Instituto Universitário de Lisboa.
Washington Souza Filho destaca “a importância de ter realizado o doutoramento na Universidade da Beira Interior, uma sugestão do professor Marcos Palácios”, seu colega da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. O investigador sublinha as “condições encontradas na UBI e a dedicação e profissionalismo de todos: professores, investigadores e funcionários”. 
Support:
Fundação para a Ciência e a Tecnologia
União Europeia
Quadro de Referência Estratégico Nacional
Programa Operacional Factores de Competitividade
Universidade da Beira Interior
2020  ©  Communication & Arts