Capa: Luísa Augusto (2016) Relações Públicas e Turismo: Media digitais e formação da imagem do destino. Communication  +  Philosophy  +  Humanities. .
Relações Públicas e Turismo: Media digitais e formação da imagem do destino

by Luísa Augusto

Coleção: Livros LabCom
Ano da edição: 2016
ISBN: 978-989-654-320-4
Preço da edição impressa: € 16   Encomendar


Download PDF - 3107 KB


Sinopse

Nos finais do século XX e inícios do século XXI ocorreram transformações profundas no âmbito da comunicação decorrentes do desenvolvimento dos meios de comunicação, representando tempos de mudança, no que diz respeito às práticas, mas também no que concerne aos paradigmas teóricos que as compreendem. Quando pensamos na comunicação desta era que muitos reputam de pós-moderna, a compreensão do novo meio, a internet, assume particular relevância, pelos reflexos profundos que traz - não só no que diz respeito às formas de disseminação da informação, mas sobretudo no que se refere às formas de interação e relação, bem como no diálogo entre as pessoas e as organizações. Com a web, e sobretudo com os seus websites, são produzidas novas dimensões dos ambientes de comunicação e com elas surgem novas oportunidades e desafios à forma como as organizações comunicam, produzem mensagens, criam e transmitem significados. A par com esses fatores emergem também novas relações comunicacionais que dão lugar a novos processos imaginários e mobilidades imaginativas. 

O domínio e ubiquidade da web tem também implicações para as relações entre as organizações e os públicos, bem como para a formação da imagem, do ponto de vista organizacional, implicando uma nova retórica, onde têm lugar a produção de mensagens e o diálogo, incidentes sobretudo no predomínio da dimensão visual, da fotografia e na partilha conjunta de conteúdos entre as organizações e os públicos. 

É neste contexto que, no interior das teorias das relações públicas, se produzem novos paradigmas e a perspetiva cocriacional ganha força no entendimento do processo de construção de imagens. Nela, o público adquire um papel mais ativo e uma posição comunicativa idêntica à da organização, tornando-o também cocriador de conteúdos. São estas premissas que nos levam a pensar a centralidade do meio na experiência comunicacional, não só social, mas sobretudo organizacional.



Índice

Introdução - 15


Parte I - Relações públicas e novos media comunicação e mediação da experiência - 25

Capítulo 1 -  Comunicação em ambientes e lugares tecnológicos: a mediação da experiência - 27
1.1. Breves contextos dos estudos da comunicação e dos media - 30
1.2. A questão do meio - 35
1.3. Meios e mediação: para uma compreensão da produção do significado - 67
1.4. Meio, interatividade e diálogo - 83
1.5. Notas conclusivas do capítulo - 96

Capítulo 2 - Da disseminação de informação ao diálogo: a compreensão das relações públicas na era digital - 101
2.1. Relações públicas e produção de significado: da comunicação simbólica à relação e ao diálogo -105
2.2. Relações públicas, retórica e produção simbólica - 117
2.3. Relações públicas, relação e diálogo com os públicos - 122
2.4. Notas conclusivas do capítulo - 136


Parte II - As relações públicas e o turismo: modernidade, imaginação e mediação da experiência - 139

Capítulo 3 - Interação, vida moderna e turismo - 141
3.1. Turismo e Modernidade - 144
3.2. O Turismo compreendido a partir da condição social da vida moderna - 152
3.3. O Turista e a experiência turística - 163
3.4. Notas conclusivas do capítulo - 174

Capítulo 4 - Turismo e novos media: comunicação e a imaginação dos lugares - 177
4.1. Pós-modernidade e turismo - 180
4.2. Notas conclusivas do capítulo - 210

Capítulo 5 - Relações públicas, novos media e imagem dos lugares - 213
5.1. Relações públicas, meio e produção organizacional da imagem - 216
5.2. Relações públicas, estudos do turismo e imagem dos lugares - 224
5.3. A retórica dialógica na web e as imagens dos destinos - 234
5.4. Notas conclusivas do capítulo - 237


Parte III - Produção dialógica da imagem: pesquisa empírica, análises, resultados e conclusão - 239

Capítulo 6 - O meio, o diálogo e a formação da imagem online: esquema concetual e design de pesquisa - 241
6.1. Esquema concetual, objetivos e questões da pesquisa empírica - 243
6.2. Design da pesquisa - 253

Capítulo 7 - Meio, capacidade dialógica, fotografias e imagem do destino: análise de resultados - 275
7.1 As entidades do destino, a adoção dos princípios dialógicos e a partilha de fotografias - 275
7.2. Fotografias publicadas, fotografias partilhadas: uma análise dos motivos e temas - 285
7.3 - Imagens do destino dialogicamente construídas - 290

Capítulo 8 - O dialogismo do meio e a cocriação da imagem do destino: conclusões do estudo - 303


Bibliografia- 319

Apoio:
Fundação para a Ciência e a TecnologiaUnião EuropeiaQuadro de Referência Estratégico NacionalPrograma Operacional Factores de CompetitividadeUniversidade da Beira Interior